• (81) 3231-4259
  • info@ceape-pe.org.br

Produção industrial cai 0,5% em março

Produção industrial cai 0,5% em março

Daniela Amorim, da Agência Estado
RIO – A produção industrial caiu 0,5% em março ante fevereiro, na série com ajuste sazonal, divulgou nesta quinta-feira (3) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com março de 2011, a produção caiu 2,01%. O resultado veio dentro das expectativas dos analistas.

A redução na produção de bens intermediários e de semi e não duráveis puxou a queda da indústria brasileira. Os bens de consumo intermediários registraram queda de 0,9% na produção, na comparação mensal. Em relação a março de 2011, o recuo foi de 2,0%. Já os bens de consumo semiduráveis e não duráveis tiveram queda de 0,8% em março em relação a fevereiro. Na comparação com março de 2011, houve alta de 0,6%.

“A queda na indústria em março foi causada pelas categorias intermediários e semi e não duráveis, porque são as mais pesadas da indústria”, explicou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE. “Elas respondem por 80% da atividade industrial como um todo.”

Enquanto os bens intermediários têm um peso em torno de 55% da indústria nacional, os bens semi e não duráveis respondem por cerca de 25% da indústria.

No ano, os bens intermediários tiveram queda de 1,3% e, em 12 meses, de -0,5%. Os bens de consumo semi e não duráveis subiram 0,9% de janeiro a março, mas caíram 0,3% em 12 meses.

Principais recuos

O recuo teve perfil generalizado, segundo o IBGE: houve queda na produção em 18 dos 27 ramos pesquisados.

Os destaques foram as perdas registradas nas atividades de edição, impressão e reprodução de gravações (-7,1%); refino de petróleo e produção de álcool (-3,6%); outros produtos químicos (-2,3%) e equipamentos de instrumentação médico-hospitalar, ópticos e outros (-10,1%). Esses setores tinham apontado resultados positivos em fevereiro: 1,0%, 2,4%, 2,8% e 24,0%, respectivamente.

Também impulsionaram a queda na indústria as contribuições negativas de material eletrônico, aparelhos e equipamentos de comunicações (-6,9%); produtos de metal (-3,4%); indústrias extrativas (-1,8%) e farmacêutica (-2,1%).

Entre as nove atividades que tiveram avanço na produção em março, a principal influência positiva foi de veículos automotores (11,5%), que acumulou expansão de 26,2% em dois meses, eliminando assim parte da queda de 31,2% verificada em janeiro.

Produção de bens de capital sobe

A produção brasileira de bens de capital registrou alta de 3,8% em março ante fevereiro. Na comparação com março de 2011, houve queda de 5,7% nesse segmento.

Até março, a produção de bens de capital acumula quedas de 11,4% no ano e de -1,5% nos últimos 12 meses.

admin